A partir do segundo semestre deste ano, os automóveis brasileiros podem começar a passar por estradas federais privatizadas sem ter de parar nos pedágios e pagando apenas o valor da tarifa equivalente ao trecho percorrido na rodovia. Depois de algumas revisões no calendário, o governo federal prevê para 30 de junho a entrada em operação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav). Serão instalados chips nos veículos que permitirão ao governo verificar, por meio de sistemas de rádio, quando eles entram e saem das estradas.

Nas rodovias ainda a serem concedidas, essa modalidade de cobrança de pedágio poderá ser prevista antes do leilão. Nas já privatizadas, seria necessário um aditivo. Os chips já são usados em algumas estradas privatizadas do interior de São Paulo, em fase experimental. O governo paulista estima que, no futuro, as tarifas de pedágio poderão cair até 30%, em média, com essa tecnologia.

À medida que a placa eletrônica for implantada em um número crescente de veículos, a utilização desse equipamento para a cobrança eletrônica de pedágio permitirá o aumento da base pagante e a modicidade da tarifa. Nesse momento, prevalecerá o conceito “onde todos pagam, todos pagam menos” – explica Gil Guedes, consultor técnico da Associação Brasileira dos Concessionários de Rodovias (ABCR).

Para a cobrança do pedágio proporcional começar a valer em 2015, porém, espera-se que não haja nova prorrogação da instalação do Siniav, previsto em lei desde 2006. O sistema é conhecido pela expressão em inglês free flow, ou fluxo livre, uma vez que não é necessário parar em nenhum ponto da estrada para pagar pedágio.

Segundo a ANTT, com o Siniav o usuário vai poder contratar o serviço “por meio de pagamento à vista, pré ou pós-pago; realizar a transação em cabine específica, onde não há necessidade de parada; evitar filas nas cabines manuais, sem paradas e arrancadas; e diminuir o consumo de combustível, de emissões de gases poluentes e de custos do veículo, como freios e suspensão”.

No ano que vem, todos os carros deverão passar por esse processo de emplacamento eletrônico, assegura o Ministério das Cidades. O modo como isso ocorrerá, porém, ainda não está muito claro. Segundo o governo, o Siniav permitirá melhorar a segurança, a mobilidade e a produtividade das estradas, “poupando vidas, tempo e dinheiro”.

FONTE: G1 19/01