Atualmente no Brasil existem milhares de veículos usados parados em pátios particulares e públicos. Vender rapidamente esses automóveis, a preço de mercado, é um desafio enfrentado por montadoras, locadoras, transportadoras e concessionárias autorizadas. Nos últimos anos, porém, uma nova modalidade de venda se tornou uma alternativa para essas empresas: a venda de frotas em leilões online. A Superbid, especializada na gestão da venda de ativos, leiloou em 2013 cerca de 8.100 veículos. No primeiro semestre de 2014, foram vendidos 4.350 – 20% a mais que no mesmo período do ano anterior.

O maior público dos leilões pela internet é um dos grandes atrativos para quem vende. Atualmente, a Superbid possui mais de 500 mil compradores cadastrados na plataforma. O site recebe cerca de 1.000.000 de visitas por mês, que visualizam mais de 15 milhões de páginas. “Como muitas pessoas participam, há muitas disputas e o preço final alcançado pelo ativo reflete o mercado. Cerca de 90% dos participantes são pessoas físicas.”, explica Pedro Barreto, diretor comercial da Superbid.

Outra vantagem é que não existe necessidade de movimentação dos veículos: os automóveis podem permanecer no local onde serão retirados pelo comprador apenas após o pagamento. Segundo Barreto, não há um número mínimo de lotes necessário para realizar um leilão.

Os leilões são uma boa opção para as empresas que estão renovando frota e querem uma forma rápida e transparente de vender os usados. Atualmente a Superbid atende cerca de 10 grupos de concessionários, 40 locadoras, 600 grandes empresas e 1.600 pequenas e médias empresas.

Como funciona?

Para o leilão de frotas, os veículos são vendidos em lotes unitários, buscando a maximização dos valores de recuperação. Os lotes serão arrematados pela maior oferta, desde que o valor seja igual ou superior ao preço mínimo estabelecido. Os lances são feitos pela internet, a partir do site da empresa organizadora, onde consta uma descrição completa dos bens leiloados. Caso não seja alcançado o preço-alvo, determinado previamente, a venda só será concretizada caso o vendedor concorde com os valores ofertados.

FONTE: FROTACIA 09/01